Aguarde, carregando...

Computação Em Nuvem

Será abordado a evolução das tecnologia que determinam as características atuais do modelo de computação em nuvem.

Por Lucas de Almeida Monteiro, postado em 18/11/2020 às 09h42 • 19 visualizações
Computação Em Nuvem

INTRODUÇÃO

Abordaremos a evolução das tecnologia que determinam as características atuais  do modelo de computação em nuvem. Também serão apontados algumas definições, benefícios, limitações, riscos, e barreiras para a adoção da nuvem. 

DEFINIÇÃO

Simplificando, a computação em nuvem é a entrega de serviços de computação - incluindo servidores, armazenamento, bancos de dados, redes, software, análise e inteligência - pela Internet (“a nuvem”) para oferecer inovação mais rápida, recursos flexíveis e economias de escala.

Você normalmente paga apenas pelos serviços de nuvem que usa, ajudando a reduzir seus custos operacionais, a executar sua infraestrutura com mais eficiência e dimensionar conforme suas necessidades de negócios mudam.

HISTÓRICO

O conceito de disponibilizar serviços de software e hardware por uma rede global não é novo. Já podemos encontrar raízes desse conceito na década de 60, quando Joseph Carl Robnett Licklider, um dos responsáveis pelo desenvolvimento da ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), já havia introduzido a idéia de uma rede de computadores intergaláctica. A sua visão era a de que todos deveriam estar conectados entre si, acessando programas e dados de qualquer site e de qualquer lugar.

Ainda na década de 60, John McCarthy, um famoso e importante pesquisador da área da informática, propôs a idéia de que a computação deveria ser organizada na forma de um serviço de utilidade pública, em que uma agência de serviços o disponibilizaria e cobraria uma taxa para seu uso.

Porém, um dos primeiros marcos para a computação nas nuvens só apareceu em 1999, com o surgimento da Salesforce.com, a qual foi a pioneira em disponibilizar aplicações empresariais através da Internet. A partir de então, o termo “computação nas nuvens” passou a ganhar mais espaço, e outras empresas também começaram a investir nessa área, como a Amazon, a Google, a IBM e a Microsoft. A seção de Pesquisa e Desenvolvimento apresenta mais informações referentes aos projetos dessas empresas.

VIRTUALIZAÇÃO

A virtualização consiste na criação de ambientes individuais e isolados, capazes de executar diferentes e independentes Sistemas Operacionais dentro de um mesmo computador. Simplificando, é como se tivéssemos vários computadores, cada um com seu endereço de rede individual, nome na rede, rodando diferentes Sistemas Operacionais e independentes entre si, todas dentro de um computador. O simples acesso remoto não está dentro do conceito de virtualização, neste caso, estará acessando um computador na rede e trazendo para a tela do seu computador.

TIPOS DE NUVENS

Nem todas as nuvens são iguais e não há um tipo de computação em nuvem que seja ideal para todas as pessoas. Vários modelos, tipos e serviços diferentes evoluíram para ajudar a oferecer a solução certa para suas necessidades.

Tipos de implantação de nuvem: pública, privada e híbrida

Primeiro, você precisa determinar o tipo de implantação de nuvem ou a arquitetura de computação em nuvem, no qual seus serviços de nuvem serão implementados. Há três maneiras diferentes de implantar serviços de nuvem: em uma nuvem pública, nuvem privada ou nuvem híbrida.

NUVEM PÚBLICA : As nuvens públicas pertencem a um provedor de serviços de nuvem terceirizado e são administradas por ele, que fornece recursos de computação, como servidores e armazenamento, pela Internet. O Microsoft Azure é um exemplo de nuvem pública. Com uma nuvem pública, todo o hardware, software e outras infraestruturas de suporte são de propriedade e gerenciadas pelo provedor de nuvem. Você acessa esses serviços e gerencia sua conta usando um navegador da Web.

NUVEM PRIVADA : Uma nuvem privada se refere aos recursos de computação em nuvem usados exclusivamente por uma única empresa ou organização. Uma nuvem privada pode estar localizada fisicamente no datacenter local da empresa. Algumas empresas também pagam provedores de serviços terceirizados para hospedar sua nuvem privada. Uma nuvem privada é aquela em que os serviços e a infraestrutura são mantidos em uma rede privada.

NUVEM HÍBRIDA : Nuvens híbridas combinam nuvens públicas e privadas ligadas por uma tecnologia que permite que dados e aplicativos sejam compartilhados entre elas. Permitindo que os dados e os aplicativos se movam entre nuvens privadas e públicas, uma nuvem híbrida oferece à sua empresa maior flexibilidade, mais opções de implantação e ajuda a otimizar sua infraestrutura, segurança e conformidade existentes.

NUVEM COMUNITÁRIA: A nuvem comunitária funciona de forma semelhante à nuvem pública, mas com um número de usuários reduzido. Nessa abordagem, diferentes empresas, com objetivos em comum, fazem a contratação de uma única infraestrutura de cloud computing privada para uso comunitário.

Assim como na nuvem pública, os custos com manutenção, troca de equipamentos e atualização do hardware nesse tipo de infraestrutura são divididos entre diferentes usuários. No entanto, ao contrário da nuvem pública, essa infraestrutura pode ser configurada de acordo com os objetivos das organizações.

NUVEM DISTRIBUÍDA: A nuvem distribuída é aquela que pode ser acionada em diferentes localidades, mas que possui servidores conectados a uma única rede ou hub de serviços. Optando por essa solução, a empresa garante o máximo de disponibilidade de seus recursos, além de uma baixa latência.

BENEFÍCIOS DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

A computação em nuvem é uma grande mudança na forma tradicional de pensamento adotada pelas empresas sobre os recursos de TI. Conheça seis motivos comuns pelos quais as organizações estão adotando os serviços de computação em nuvem:

CUSTO : A computação em nuvem elimina o gasto de capital com a compra de hardware e software, instalação e execução de datacenters locais, incluindo racks de servidores, disponibilidade constante de eletricidade para energia e resfriamento, além de especialistas de TI para o gerenciamento da infraestrutura. Tudo isso contribui para o alto custo da computação.

VELOCIDADE : A maior parte dos serviços de computação em nuvem é fornecida por autosserviço e sob demanda, para que até grandes quantidades de recursos de computação possam ser provisionadas em minutos, normalmente com apenas alguns cliques, fornecendo às empresas muita flexibilidade e aliviando a pressão do planejamento de capacidade.

ESCALA GLOBAL : Os benefícios dos serviços de computação em nuvem incluem a capacidade de dimensionamento elástico. Em termos de nuvem, isso significa fornecer a quantidade correta de recursos de TI – por exemplo, mais ou menos potência de computação, armazenamento e largura de banda – sempre quando necessário e no local geográfico correto.

PRODUTIVIDADE : Datacenters locais normalmente exigem pilhas de equipamentos e implementações, como configuração de hardware, correção de software e outras tarefas demoradas de gerenciamento da TI. A computação em nuvem remove a necessidade de muitas destas tarefas, para que as equipes de TI possam investir seu tempo na obtenção de suas metas comerciais mais importantes.

DESEMPENHO :Os maiores serviços de computação em nuvem são executados em uma rede mundial de datacenters seguros, que são atualizados regularmente com a mais recente geração de hardware de computação rápido e eficiente. Isso oferece diversos benefícios em um único datacenter corporativo, incluindo latência de rede reduzida para aplicativos e mais economia de escalonamento.

SEGURANÇA : Muitos provedores em nuvem oferecem um amplo conjunto de políticas, tecnologias e controles que fortalecem sua postura geral de segurança, ajudando a proteger os dados, os aplicativos e a infraestrutura contra possíveis ameaças.

PRINCIPAIS LIMITAÇÕES

Provavelmente, você também está usando computação em nuvem em seu trabalho. Assim como seu email pessoal, o seu email comercial também pode ser baseado em nuvem. Outros usos comerciais da nuvem incluem colaboração e comunicação, produtividade, backup de arquivos, análise de dados, ferramentas para desenvolvimento de software e muito mais. Muitas organizações usam aplicativos baseados em nuvem por meio de um modelo de assinatura. Esse modelo oferece bom custo-benefício porque a organização paga somente pelo que usa.

Além disso, ele é conveniente e mantém a produtividade das pessoas porque elas podem acessar seus aplicativos e dados usando qualquer dispositivo conectado à Internet. A computação em nuvem também aumenta a confiabilidade dos processos de negócios, pois os dados podem ser espelhados em diversos sites redundantes na rede do provedor de nuvem.

COMO AS EMPRESAS USAM

Aqui estão alguns exemplos de como as empresas usam a computação em nuvem:

PROCESSOS DE NEGÓCIOS : Muitos aplicativos de negócios sofisticados, como gerenciamento de relacionamento com o cliente, planejamento de recursos empresariais e gerenciamento de documentos também podem ser alugados de um provedor de serviço de nuvem. Isso assegura a disponibilidade e a segurança dos recursos críticos para os negócios da sua organização e permite acessar essas ferramentas de modo conveniente, usando o navegador da Web.

ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS : A nuvem pode ser usada para armazenamento de arquivos. A vantagem para você é a facilidade do backup, pois muitos serviços de nuvem sincronizam automaticamente os arquivos da sua área de trabalho. Além disso, se você mudar para um computador ou um dispositivo móvel diferente poderá recuperar seus arquivos. As organizações pagam somente pelo armazenamento usado e não precisam manter a infraestrutura, o provedor de serviço de nuvem é que faz isso.

BACKUP E RECUPERAÇÃO : Quando sua organização confia em serviços de nuvem para backup e recuperação, ela pode evitar gasto de capital com infraestrutura e gerenciamento. Nesse caso, o provedor de serviço de nuvem é responsável por gerenciar os dados e atender aos requisitos legais e de conformidade. A nuvem também oferece maior flexibilidade por poder acomodar demandas imprevisíveis de armazenamento e de backup. O provedor de serviço de nuvem também pode acelerar a recuperação porque os ativos da sua organização ficam localizados em uma rede de localizações físicas em vez de em um único data center local.

DESENVOLVIMENTO DE APLICATIVO : Se você está desenvolvendo aplicativos Web, móveis ou de jogos, a nuvem pode ajudá-lo a criar rapidamente experiências multiplataforma que são escaladas à medida que sua base de usuários aumenta. Muitos serviços de nuvem incluem ferramentas pré-codificadas, tais como serviços de diretório, pesquisa e segurança, que podem acelerar e simplificar seu desenvolvimento.

TESTE DESENVOLVIMENTO : A nuvem oferece um ambiente que ajuda a economizar custos e a inserir seus aplicativos no mercado com mais rapidez. Em vez de garantir orçamentos e gastar tempo e recursos de projeto valiosos configurando ambientes físicos, suas equipes podem configurar e remover ambientes de desenvolvimento e teste rapidamente na nuvem. Você pode escalar esses ambientes de desenvolvimento e teste verticalmente ou horizontalmente, dependendo da necessidade.

ANÁLISES DE BIGDATA : Com a computação em nuvem, você pode explorar os dados da organização para analisá-los em busca de padrões e informações, realizar e melhorar previsões e tomar outras decisões de negócios. Os serviços de nuvem podem oferecer à organização um maior poder de processamento e ferramentas sofisticadas para minerar enormes quantidades de dados, além da capacidade de escalar o ambiente rapidamente à medida que os dados aumentam.

TIPOS DE SERVIÇOS

A maioria dos serviços de computação em nuvem se enquadra em quatro categorias amplas: IaaS (infraestrutura como serviço), PaaS (plataforma como serviço), sem servidor e SaaS (software como serviço). Às vezes, eles são chamados de pilha da computação em nuvem, pois se baseiam um no outro. Saber o que eles são e como são diferentes ajuda a alcançar suas metas de negócios.

IAAS  (INFRAESTRUTURA COMO SERVIÇOS) : A categoria mais básica de serviços de computação em nuvem. Com a IaaS, você aluga a infraestrutura de TI, (que inclui servidores e máquinas virtuais, armazenamento (VMs), redes e sistemas operacionais), de um provedor de nuvem, com pagamento conforme o uso.

PAAS  (PLATAFORMA COMO SERVIÇO) : Como o PaaS, a computação sem servidor concentra-se na criação de aplicativos, sem perder tempo com o gerenciamento contínuo dos servidores e da infraestrutura necessários para isso. O provedor em nuvem cuida da configuração, do planejamento de capacidade e do gerenciamento de servidores para você. As arquiteturas sem servidor são altamente escalonáveis e controladas por eventos, usando recursos apenas quando ocorre uma função ou um evento que desencadeie esse uso.

SAAS  (SOFWARE COMO SERVIÇO) : O software como serviço é um método para a distribuição de aplicativos de software pela Internet sob demanda e, normalmente, baseado em assinaturas. Com o SaaS, os provedores de nuvem hospedam e gerenciam o aplicativo de software e a infraestrutura subjacente e fazem manutenções, como atualizações de software e aplicação de patch de segurança. Os usuários conectam o aplicativo pela Internet, normalmente com um navegador da Web em seu telefone, tablet ou PC.



Este site usa cookies para garantir que você obtenha a melhor experiência durante a navegação. Saiba mais »